Arquivo da categoria: Turismo em Ambientes Naturais

Contribuição das Unidades de Conservação para a Economia Nacional

As unidades de conservação (UCs) brasileiras têm potencial de retorno financeiro de quase R$ 6 bilhões ao ano, segundo estudo realizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a Embaixada Britânica e a Cooperação Internacional Alemã (GIZ). Estes valores podem chegar a 10 bilhões até 2016 se forem feitos os investimentos necessários na estrutura das áreas nacionais, estaduais e municipais de proteção da biodiversidade.

A pesquisa, intitulada Contribuição das Unidades de Conservação para a Economia Nacional, considera os bens e serviços que são ou poderiam ser fornecidos pelas unidades de conservação, como, por exemplo, produtos florestais (manejo sustentável), visitação pública e “aluguel” do estoque anual de carbono não emitido. Baixe aqui

Fonte: Matriz Limpa

CENAP lança guia de predadores e animais silvestres

Brasília (29/06/2011) – O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap), centro vinculado ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) acaba de lançar o Guia Prático de Convivência: Predadores Silvestres e Animais Silvestres, baseado no Guia de Convivência: Gente e Onça, que já está na segunda edição. O guia foi elaborado pelos pesquisadores Sílvio Marchini, Sandra Cavalcanti e Rogério de Paula e reúne, em linguagem acessível à população, questões relacionadas à predação e técnicas preventivas, recomendações para se evitar acidentes com grandes felinos, informações a respeito da ecologia e conservação de carnívoros e dicas sobre o manejo de animais domésticos, sendo uma referência para os interessados no tema.

Conhecimentos desta natureza são especialmente importantes para o manejo de trilhas e programas ou projetos de Ecoturismo, lazer na natureza, Turismo rural e outros onde a Fauna é um ativo, um patrimônio ambiental, onde além da importância óbvia para a conservação, pode ser uma fonte de renda para a manutenção destas e outras espécies relacionadas aos habitats em questão.

O guia estará disponível no site do Cenap no endereço: www.icmbio.gov.br/cenap.  As Unidades de Conservação que tiverem interesse em adquirir a versão impressa podem entrar em contato com o centro pelo telefone: (11) 4411-6633 ou e-mail: cenap@icmbio.gov.br

Confira o Guia, clicando aqui.

Guia de Trilhas do Parque Estadual do Desengano / RJ

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) lançou nesta sexta-feira (29/04) o Guia de Trilhas do Parque Estadual do Desengano. O objetivo da publicação é elevar a visitação do parque que, com 22,4 mil hectares, abrange áreas dos municípios de Santa Maria Madalena, São Fidélis e Campos. Com 336 páginas, em edição bilíngue, o guia traz todos os detalhes de 19 trilhas e outros atrativos como poços e cachoeiras, das quais 12 no interior da unidade e sete no seu entorno imediato.

A publicação traz informações completas sobre o parque, que completa este mês 41 anos, incluindo localização, clima, flora, fauna, geologia e hidrologia. Também há dicas de segurança, procedimentos em situações de emergência, recomendações de mínimo impacto e para as operadoras de turismo, guias e condutores de visitantes. Na descrição das trilhas há indicações de pontos de GPS e o perfil de inclinação da trilha, um item raramente encontrado em publicações do gênero.

O Maciço do Desengano é uma área com grande potencial para a prática de esportes de aventura, em especial caminhadas e escaladas de rocha. Um dos objetivos do guia é o incentivo ao ecoturismo na região e, para isso, incluímos na publicação, a pedido da prefeitura de Santa Maria Madalena, algumas trilhas de curta duração que estão fora do parque mas de grande apelo local e de potencial interesse para visitantes – explica o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Inea, André Ilha.

A elaboração do guia, custeado pelas empresas Anglo American e LLX, ficou a cargo da organização não-governamental Instituto Terra Brasil. A assessoria técnica ficou a cargo de montanhistas experientes como os guias Francesco Berardi e Claudia Bessa, do Centro Excursionista Brasileiro (CEB), o primeiro clube de montanhismo do país, fundado em 1919. O projeto também trouxe outros benefícios, como a atualização da base cartográfica do parque, o mapeamento com GPS de todas as trilhas e um banco de imagens.

Os mil exemplares do guia serão distribuídos para operadoras de turismo, clubes de montanhismo e prefeituras locais. Além disso, estará disponível para download, na íntegra, no site do Inea (www.inea.rj.gov.br) a partir de 3 de maio. O INEA produzirá, em seguida, também guias de trilhas dos parques estaduais da Pedra Branca (Rio), da Serra da Tiririca (Niterói/Marica) e dos Três Picos (Região Serrana).

Fonte: INEA